Senadores divergem sobre aval da OIT à reforma trabalhista
17/06/2017 - 10h10 em Política

O Brasil foi excluído da lista de 24 países que terão que prestar esclarecimentos ao Comitê de Aplicação de Normas, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), na 106ª Conferência Internacional do Trabalho, na Suíça. No entanto, o Brasil terá que fornecer informações sobre a evolução da reforma trabalhista. Para o relator da proposta, senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), a exclusão do país da lista de países que estão ameaçando normas da OIT, “é uma declaração absolutamente clara” de que a reforma trabalhista não vai prejudicar os trabalhadores. Já a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) sustenta que o fato de o Brasil não estar na lista não significa o aval da OIT à reforma trabalhista. A Reportagem é de Marcella Cunha, da Rádio Senado.

 

Ouça o áudio: Download

 

Saiba mais

 

Por Agência Senado - 16/06/2017, 10h07 - ATUALIZADO EM 16/06/2017, 11h00

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE